Lecupon-Logo

Aprenda como criar um banco digital para começar no setor

Sumário

A tecnologia trouxe novos hábitos para milhões de clientes do sistema financeiro. Os bancos virtuais passaram a fazer parte da vida de muita gente que quer superar a burocracia. Mas você sabe como criar um banco digital?

A facilidade tecnológica proporciona ao cliente mais conforto e transparência nas operações. Na plataforma digital, ele tem domínio e controle de suas atividades. 

Algumas pessoas buscam entrar na onda do momento, mas ainda não sabem quais os caminhos para abrir um banco digital? Neste artigo, vamos abordar alguns pontos importantes para você aproveitar o crescimento das fintechs.

Banner_Gerar_Valor

O que é um banco digital?

Um banco digital é uma instituição financeira que, mesmo tendo atividades parecidas àquelas de um banco convencional, como empréstimos e emissão de cartões de crédito, opera exclusivamente online.

Os bancos digitais têm revolucionado o mercado financeiro brasileiro, isso porque trata-se  de instituições de serviços financeiros que oferecem serviços bancários com uma menor burocracia e maior agilidade. 

Esse tipo de banco foi projetado para atender as necessidades dos bancos tradicionais, oferecendo serviços financeiros, transferência entre contas, pagamento de boletos e muito mais de forma digital, por meio da internet. 

Por esse motivo, a maioria dos bancos digitais não dispõe de agências físicas ou atendimento presencial, funcionando de uma forma totalmente integrada e 100% online. 

Os bancos digitais apresentam várias vantagens em relação às instituições tradicionais, pois são empresas que vendem bens e serviços ao consumidor, sem necessariamente agir como uma instituição financeira. 

Os bancos digitais estão em alta e ainda são uma coisa nova, sendo lançados há poucos anos atrás. Porém, atualmente, as pessoas estão tendendo mais a lidar com bancos virtuais do que os bancos mais comuns.

O que é preciso para abrir um banco digital?

Para saber os passos sobre como criar um banco digital, é necessário ter consigo conceitos sobre legislação, parâmetros técnicos, segurança e suporte ao cliente. 

Veja agora o que é preciso para abrir um banco digital. Confira: 

Infraestrutura tecnológica

Para que seja necessário abrir um banco digital, é preciso de um bom suporte em infraestrutura tecnológica. A partir disso, será muito simples oferecer serviços práticos e flexíveis através da internet para seus clientes.

Tanto no mundo digital quanto no cenário financeiro, a competição é constante e tudo está sempre sob o ritmo da mudança. Para manter o interesse do consumidor é necessário apresentar plataformas inovadoras e serviços personalizados

Mas como fazer isso? É possível obter uma plataforma tecnológica prontinha para ser personalizada, com o auxílio de uma consultoria especializada no assunto, e ter todas as ferramentas para criar o seu banco virtual sem grandes investimentos.

Além de ser um aspecto essencial, a infraestrutura tecnológica contribui para o engajamento dos clientes para com o seu banco digital.

Quando o público vê que a empresa valoriza e investe em infraestrutura e suporte técnico, tende a criar laços mais fortes com o seu banco.

Por fim, os bancos digitais estão investindo em tecnologia para atender as demandas dos seus clientes e reduzir os custos operacionais. 

Ou seja, a infraestrutura técnica serve tanto para a melhora da qualidade de serviço nos bancos quanto para intensificar o relacionamento com o cliente.

Conhecimento da legislação

Hoje em dia os bancos virtuais estão sendo regidos pela regulamentação do Banco Central no Brasil (BACEN).

Em alguns países, as empresas que pretendem abrir bancos digitais podem ser autorizadas assim que obtiver os recursos necessários.

A legislação regulamentadora do setor bancário discute, dentre outros temas, a necessidade de ter capital social abastecido. 

Ou seja, é preciso que os recursos para sustentar o banco sejam fornecidos antes da liberação de um eventual empréstimo, por exemplo.

Além disso, a lei determina que um banco digital tenha uma pessoa responsável por estar de plantão 24 horas por dia e exige que o banco ofereça suporte técnico para seus usuários.

Ainda, é necessário um sistema para que os dados dos clientes e do banco sejam protegidos. Essa segurança protege contra invasões que representem risco à segurança e a divulgação de informações.

Estrutura de atendimento ao cliente

A estrutura de atendimento ao cliente é formada por um conjunto de procedimentos e ações complementares que ajudam na gestão ativa da fidelização com o cliente. 

Uma banco digital deve deter ferramentas que otimizem os canais de comunicação, como um plantão no WhatsApp, atendimento telefônico e até uma assistente virtual personalizada (se for possível).

Para que isso possa ser colocado em prática, a estrutura de atendimento pode ser usada para melhorar os serviços prestados dentro de um banco digital. Tanto para garantir a satisfação dos clientes quanto para reduzir os custos e gerar lucro. 

Essas práticas contribuem para favorecer a experiência do cliente no seu banco, otimizando a relação entre o usuário e o banco e atraindo novos clientes.

Por meio de um estratégia de atendimento especializado com o seu público, convém apostar na criação de um clube de benefícios para que os usuários do seu banco se sintam ouvidos e atendidos.  

Investimento em segurança da informação

Investir em segurança da informação pode ser considerado, em algumas das vezes, algo não tão necessário. Porém, muitas informações pessoais e profissionais estão em risco quando a segurança de dados é subestimada. 

Em um banco digital, é importante lembrar, que o baixo investimento em proteção de dados transparece a imaturidade da empresa para com o seu público. Além disso, pode-se gerar maiores danos se o banco não conseguir garantir a segurança de seus usuários. 

Dentro de uma interface de um banco digital, a segurança da informação é um aspecto fundamental para garantir que os dados dos clientes estejam protegidos e que os usuários possam realizar transações e as demais ações sem comprometer a integridade das suas informações.

Por isso, deve-se incorporar e investir em tecnologia e alinhar estratégias para a segurança de dados. Também é importante se atentar a regras básicas da segurança da informação para evitar futuras dores de cabeça. 

Assim, bancos digitais  devem possuir regras rígidas de segurança de dados, como por exemplo, confidencialidade e integridade. Utilizando medidas de segurança para proteger e garantir o sigilo de seus clientes, em caso de extravio de dados.

Como criar um banco digital?

O banco digital é uma instituição financeira 100% on-line, que oferece abertura de contas, pagamentos, cartão de crédito, empréstimos e investimentos. É importante ressaltar que não existe uma agência física. Portanto, toda a solução para o cliente deve ser feita pela internet.

E para não ficar de fora, muitos bancos tradicionais têm se adaptado para essa nova realidade. O cliente quer ter autonomia e controle de suas operações. Agora, o cliente tem mais atenção às suas movimentações financeiras. 

Por isso, muitos bancos tradicionais estão se digitalizando mais, como é o caso do Bradesco com o Next e o Banco do Brasil com o BB Digital. Essa é uma estratégia em busca de fidelizar clientes que, tradicionalmente, mantêm relacionamento com esse tipo de banco.

Mas não basta criar uma plataforma e colocar um nome e uma logo bem bonita para ter seu banco digital funcionando. Acima de tudo, é preciso saber lidar com as legislações. A seguir vamos saber mais sobre as regulamentações necessárias. 

Quais as opções disponíveis para um banco digital?

Para começar o seu banco digital, você deve estar pensando no quanto vai precisar investir em conhecimento de tecnologia. No entanto, nem sempre é necessário fazer esse investimento por conta própria.

A plataforma pode ser White Label, ou seja, ela pode ser criada por outra empresa, de forma totalmente personalizada para sua marca. 

Em outras palavras, o seu banco digital terá a plataforma construída por uma empresa parceira, atribuindo tudo ao seu banco online. 

Quais as regulamentações necessárias para criar um banco digital?

Desde 2018, os bancos digitais precisam ser regulamentados pelo Banco Central, pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pela Superintendência de Seguros Privados (Susep) .

Além disso, os bancos digitais precisam estar de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que protege os dados dos usuários que são armazenados pelas empresas.

A grande diferença entre o banco digital e uma fintech, é que o banco digital é autorizado pelo Banco Central, enquanto a fintech recebe regulamentações próprias.

Como se tornar dono de banco digital com 7 dicas

1. Identifique o seu público-alvo

Conhecer o público alvo é uma maneira de direcionar o seu produto. No caso de um banco digital, é importante saber as dores e os desejos do seu cliente. Por isso, entender o comportamento do cliente trará mais visão de negócio.

Dessa forma, o banco digital pode ser criado a fim de trazer soluções específicas para aquele determinado público. Existem pessoas, por exemplo, que estão atrás de diversificação nos investimentos. Outras estão em busca de soluções para o seu negócio.

A verdade é que conhecer bem o seu público-alvo é o primeiro passo para criar a identidade da sua plataforma financeira. 

O grande espaço que os bancos digitais conseguiram explorar foi justamente a ineficiência no processamento de alguns serviços. Em outras palavras, o excesso de burocracia para serviços simples como abertura de conta foram derrubados com o avanço da tecnologia.

Semelhantemente, a escolha do público alvo, deve ser feita de maneira criteriosa. Para isso, uma pesquisa pode ser um bom auxílio para atrair mais clientes para sua fintech.

2. Defina o caso de uso

Ao se tratar de operações 100% online, torna-se ainda mais necessário saber como o aplicativo vai servir para o usuário.

Por meio da criação do caso de uso, fica mais compreensível saber como funciona cada etapa do aplicativo bancário. Esse modelo funciona como esboço a fim de dar uma previsibilidade do aplicativo real.

É o que podemos chamar também de protótipo. Assim, fazendo testes e ajustes, a plataforma do banco digital vai se ajustando às necessidades dos seus clientes. 

Ainda assim, nada impede que outros ajustes sejam necessários para facilitar ainda mais o uso dos serviços. 

3. Configure a plataforma on-line

Antes de criar sua plataforma online é preciso entender que existem três maneiras diferentes de estabelecer uma. Em primeiro lugar, você pode criar sua plataforma. Em segundo lugar, você pode optar por fazer parceria com outra plataforma e, por fim, você pode comprar uma plataforma pronta.

Existe também a opção de montar uma plataforma por meio das três opções. O mais importante é abranger regulamentação, aplicativo, site , integração de clientes, gerenciamento de contas, segurança de TI, atendimento ao cliente e gerenciamento de fraudes.

4. Faça todos os licenciamentos e regulamentações

Um banco digital precisa de regulações para iniciar o funcionamento. Sabemos que lidar com dinheiro de terceiros é uma tarefa de muita responsabilidade. Por isso, não deixe de seguir criteriosamente todas as exigências que a lei exige. 

Isso evitará transtornos judiciais futuros. Somente depois de se certificar de que está tudo debaixo da legalidade, dê continuidade às demais necessidades da plataforma.

5. Crie uma plataforma

Após resolver todas as questões que envolvem legislação, comece a dar a cara do seu banco. Primeiramente invista em simplicidade, para que todos possam usá-la sem dificuldades.

É importante pensar que pessoas com mais idade precisam ter a mesma facilidade que um jovem mais conectado. Isso vai garantir uma expansão do seu negócio.

Procure pensar em uma interface fácil de navegar e inteligente, com várias opções bancárias. É importante lembrar que quanto mais acessível, mais engajamento de clientes haverá, à medida que eles encontram soluções financeiras com mais praticidade. 

6. Inicie o banco digital

Todo negócio precisa de um capital de giro para iniciar. No banco digital, isso não é diferente. Até porque, o início demanda tempo para conseguir os primeiros clientes. Consequentemente, o investimento só será visto a médio e longo prazo. 

Uma boa maneira de aumentar a clientela é investir em um programa de indicação para aumentar a sua base de clientes. 

No primeiro momento, seus clientes clientes vão conhecer o banco digital. Depois disso, ele já está preparado para indicar pessoas e receber recompensas por isso. Assim, o banco digital cresce mais rápido e em pouco tempo. 

Mas lembre-se sempre de que o investimento só dará retorno a longo prazo. Inicialmente, o mais importante é aumentar a base de clientes para tornar a marca conhecida.

7. Pense sempre em inovar e expandir

A revolução digital trouxe diversas oportunidades de negócio. Mas, diferentemente do passado, em que tudo ficava estático e sem muitas atualizações, os tempos modernos têm exigido mudanças rápidas cada vez mais.

Sendo assim, fique atento às atualizações que outros concorrentes estão fazendo no momento. Sem dúvida, eles estão também ouvindo clientes e aplicando modificações para garantir a satisfação do consumidor

Da mesma forma, em proporção ao crescimento do seu banco digital, os próprios clientes farão sugestões de melhoria. Sendo assim, o atendimento tem um papel muito importante de filtrar informações valiosas, que poderão melhorar ainda mais o aplicativo.

Por que ter um clube de vantagens para seu banco digital?

Com a forte concorrência no setor de banco digital, muitos empresários começam a buscar alternativas para driblar os adversários.

Oferecer cartões sem mensalidade, opções para carteiras de investimentos e pontos em pagamentos tornou-se condições básicas para muitos bancos digitais.

Por isso, o clube de vantagens se tornou uma alternativa de ter um diferencial competitivo no mercado.

Se você está criando um banco digital, confira nosso conteúdo exclusivo sobre clubes de vantagens para esse segmento.

Quanto custa abrir uma fintech?

Uma fintech pode ter o custo de aproximadamente R$80 mil de investimento inicial. Fazendo comparação com outros tipos de negócio, esse pode até ser um valor enxuto, já que a lucratividade é muito alta.

E o que favorece o custo-benefício é a construção de uma plataforma totalmente online. Isso torna o investimento bem mais acessível.

Você pode optar por aplicativos de gestão financeira ou plataformas de pagamento digital. As possibilidades são variadas nesse segmento. 

Estimativa de gastos para abrir um banco digital

Ainda que o banco digital não gaste com mobiliário, aluguel de agências e equipes imensas de funcionários, existem gastos necessários para manter o negócio. 

Inicialmente o empresário vai gastar com abertura de CNPJ, infraestrutura básica para funcionar a startup, marketing, despesas fixas e variáveis do negócio e funcionários. 

Esses são somente os gastos para abertura da empresa. Mas para funcionar um banco digital, é preciso gastar principalmente com tecnologia. Para ter uma estimativa de gastos, tudo vai depender de quanto você pretende investir em produtos e serviços.

Algumas fintechs abriram com um investimento de U $2 milhões. Foi o caso do Nubank em 2013. Contudo, isso não é uma regra. É perfeitamente possível abrir um banco digital com menos investimento. 

De acordo com uma pesquisa realizada pela AB Fintechs em parceria com a PwC , o mais desafiador é achar mão de obra qualificada. Achar investidor, portanto, fica em segundo lugar. 

Existem investidores-anjo à procura de startups que vão trazer alta lucratividade. De fato, o banco digital tem um caminho muito promissor para percorrer. Para você ter uma noção, os gastos de um banco digital são absurdamente mais reduzidos em comparação a um banco tradicional. 

Depois de aprender como criar um banco digital, veja também como os bancos digitais ganham dinheiro.

Sumário

Continue explorando o mercado com a Lecupon

Separamos alguns posts que podem te ajudar