Skip links
provedor de internet

Tire todas as suas dúvidas sobre provedor de internet para começar o seu negócio

Um provedor de internet é responsável por credenciar as autorizações de navegação e oferecer o acesso à rede mundial de computadores.

No início da tecnologia cibernética, os provedores autorizavam o acesso para que o usuário se conectasse à rede. Enquanto isso, as operadoras de telefonia prestavam o serviço de conexão via cabo telefônico. Naquela época, elas eram apenas empresas de telefonia.

De uns tempos para cá, foi possível que a empresa de telefonia passasse a ser o próprio provedor de internet. Isso facilitou muito a entrega do serviço.

Banner_Blog_LeCuponSVA

O que é provedor de internet?

Se você viveu os anos 90, então você sabe como o serviço de internet chegava em sua casa. Era preciso ter uma companhia telefônica e um serviço contratado de provedor de internet, separadamente. 

Na época, os serviços eram independentes e você poderia optar por provedores como Terra, Bol, IG entre outros para que a conexão ocorresse de forma discada. Isso ocupava sua linha telefônica que, naquele tempo, cobrava por pulso de ligação. 

Só para relembrar, uma conexão feita em qualquer hora do dia correspondia ao valor de uma ligação telefônica. O serviço saía caro. Por isso, estrategicamente, algumas pessoas só se conectavam à internet quando a cobrança de pulso telefônico era nula. Ou seja, nas madrugadas ou nos finais de semana.

A navegação que você pode fazer na internet, hoje em dia, evoluiu muito ao longo dos anos. Para que isso seja possível, você precisa de uma estrutura física e de um provedor de internet. 

Com a chegada da banda larga, as conexões são feitas via cabo, rádio ou fibra e satélite. Isso fez com que as próprias operadoras pudessem ser intermediárias do serviço.

Hoje, o provedor é a própria empresa que fornece os planos de internet. Basta que a empresa interessada tenha uma licença de SCM (Serviço de Telecomunicação Multimídia) fornecida pela Anatel.

Quais são os tipos de servidores?

Embora haja confusão entre as suas funções, os servidores são diferentes dos provedores. Os chamados servidores são dispositivos físicos com capacidade de monitorar e controlar o acesso à internet.

Grandes empresas costumam fazer uso dessas informações para monitorar como os seus colaboradores estão fazendo uso da navegação. 

Inclusive, a velocidade de internet pode ser alterada de acordo com o interesse da empresa. É possível, por exemplo, reduzir a internet em smartphones.

Os servidores proporcionam mais segurança, portabilidade e armazenamento de arquivos. Veja abaixo quais são os tipos de servidores e quais são suas finalidades.

Servidor de e-mail

Existe um espaço para que os e-mails sejam armazenados. Para cumprir esse objetivo, o servidor de e-mail é um serviço de hospedagem responsável por intermediar o endereçamento de um e-mail do seu remetente até seu destinatário.

É como se, esse espaço, correspondesse a uma caixinha de Correios. 

Servidor na nuvem

Imagine que todas as informações da sua empresa podem ficar armazenadas em um lugar que não ocupa espaço físico como ocuparia em um data center.

Você economiza em energia elétrica, equipamentos, licenças de software entre outras coisas. Isso é possível através do servidor na nuvem. 

Servidor web

Para ter acesso a alguma página da internet é preciso que um programa de computador faça essa tradução. 

Podemos falar também em hardware e software. No caso de hardware, o computador armazena seus arquivos e os entrega ao usuário. Ou seja, tudo o que está em um site é passado para você através do hardware que abrigou arquivos como imagens, arquivos JavaScript.

Já no caso do software, refere-se aos arquivos hospedados como endereços web (URLs) e o protocolo HTTP usado para navegação.

Servidor de banco de dados

Dentro de um sistema computacional, os servidores de banco de dados são usados para o armazenamento e gerenciamento de dados. 

O termo pode ser usado tanto para hardware como para software. Na prática, os bancos de dados são consultados por usuários e adicionados, movidos e atualizados quando necessário.

Servidor proxy

Se você já se deparou com uma mensagem de erro no proxy ao tentar navegar, já viu que a conexão não ia ser possível. 

É o proxy que vai conectar o usuário à internet. Portanto, qualquer erro vai impossibilitar a navegação.

Ele funciona como uma espécie de procurador, por isso o nome escolhido. O que acontece é que, através desta procuração, o proxy faz a intermediação entre o site e o usuário.

Servidor de aplicativo

Esse software para desenvolvedores web é também chamado de middleware. Sua função é conceder uma plataforma para instalar e executar outras ferramentas.

Ou seja, ele fornece o ambiente de execução para um programa de aplicativo. Se você quer saber onde está instalado o aplicativo, basta acessar esse servidor.

Servidor FTP

Os arquivos só podem ser transmitidos de um dispositivo para outro, através do FTP. Isso é permitido porque eles têm  tarefas de baixar e enviar arquivos FTP. Em outras palavras, o servidor FTP conecta o emissor e o receptor e vice-versa.

Quais os principais provedores de internet do Brasil?

As empresas de provedor de internet se multiplicaram ao longo dos anos. Veja algumas mais conhecidas:

  • Unifique;
  • Brisanet;
  • Algar;
  • TIM;
  • Vivo;
  • Sercomtel;
  • Claro/NET;
  • SKY;
  • Oi;
  • Hughes.

Como montar um provedor de internet?

Uma empresa que presta serviço de internet tem um mercado muito promissor. Tendo em vista que muitos pequenos provedores estão encontrando oportunidades em regiões fora das grandes metrópoles, surgem também muitas dúvidas.

Afinal, o que é preciso para montar um provedor de internet? Em primeiro lugar, a empresa vai precisar de verificar a região de interesse. 

Dependendo do serviço escolhido, é preciso ver se as condições climáticas favorecem o meio de envio escolhido. Como no caso do envio de sinal via rádio.

Em segundo lugar, escolha o regime tributário que mais atende de acordo com o faturamento, atividade prestada e porte da empresa. 

Vale lembrar que, para qualquer provedor de internet funcionar legalmente, é necessário ter a autorização da ANATEL. Ela é uma empresa reguladora de serviços de telecomunicações. Portanto, é imprescindível para que a sua empresa de provedor se internet se mantenha ativa.

Para ter uma noção da área de atendimento, faça um estudo da área. Veja se a região é carente deste tipo de serviço. Quanto menos concorrência, melhor será para o seu negócio.

É muito importante também ter uma noção de público. Assim, você terá mais clareza para direcionar o marketing. Por exemplo, se a maior parte do público for jovem, é mais interessante fazer uma campanha que gere estímulo para uso das plataformas de streamings como Netflix.

Por outro lado, se tiver mais crianças na região, tente fazer uma conexão com programas infantis educacionais. 

A internet é o meio mais fácil de se conseguir informação e entretenimento. Por isso, investir em campanhas que mostrem os benefícios de tê-la em casa, fazem parte de um marketing direcionado.

A logística também precisa de investimentos substanciais para expansão. Ou seja, se a intenção é ser influente no mercado de provedores, é preciso dar atenção à estrutura do negócio. 

Quais os equipamentos para montar um provedor de internet?

Você vai precisar de equipamentos como estes para iniciar seu provedor de internet. Veja:

  • Roteador;
  • Servidor PPPoE;
  • Switches de agregação;
  • Switches de agregação;
  • Caixa de Emenda Ótica (CEO);
  • Terminal de Linha Ótica (OLT);
  • Splitters.

Qual a diferença entre cloud server e servidor on-premise?

Antes de saber a diferença entre os termos, precisamos saber o que é um Data Center. 

Vamos partir do princípio que todos os recursos no que diz respeito a roteadores, servidores e storages precisam de um lugar de armazenamento. É aí que a funcionalidade do Data Center aparece.

O Data Center é uma infraestrutura que mantém a organização de cada processo, a fim de permitir o tráfego de dados. Sendo assim, surge a necessidade de escolher entre o ambiente adequado para sua implementação: cloud server ou servidor on-premise?

Vamos começar pelo cloud center. Esse ambiente de computação virtual possui servidores combinados como memória RAM, CPU e Storage Network que são os dispositivos que armazenam dados eletrônicos. 

A grande vantagem do cloud server é que ele não requer um investimento inicial, o que o viabiliza muito economicamente. Dessa maneira, o que importa é o Sistema Operacional e o software. A escalabilidade depende somente da necessidade da empresa. 

Sendo assim, é possível aumentar a memória de acordo com o interesse do provedor de internet. O cloud server permite também ser hospedado em data center de terceiros, seu acesso é pela  internet.

Já no caso de servidor on-premise, a estrutura é totalmente local. Ele oferece uma estrutura física bem desenvolvida e complexa. Muitas empresas que já estão há mais tempo no mercado fazem uso do servidor on-premise. 

Esse tipo de servidor, diferentemente do cloud server, não permite escalabilidade e seu acesso pode ser feito de forma off-line. Isso porque já existe a estrutura física instalada na própria empresa. 

É importante fazer um monitoramento constante no servidor on-premise, já que qualquer interferência externa pode comprometer e parar o seu funcionamento.

Uma dessas inconveniências pode ser a falta de energia. Neste caso, o responsável pelo TI deve evitar que máquinas fiquem super aquecidas. Naturalmente, esse é um dos problemas que um servidor on premise pode enfrentar no dia a dia. Em contrapartida, é possível gerenciar todos os recursos sem precisar de acesso à internet. 

Hoje em dia, esse tipo de sistema é  bem usado por empresas que estão há mais tempo no mercado. Normalmente, o que ocorre é o uso dos dois servidores ao mesmo tempo.

É como se fosse uma adaptação ao cloud server. Sendo assim, pode-se prever que o servidor on premise vai ficar em desuso numa questão de longo prazo.

Quais as principais reclamações sobre provedor de internet?

Agradar o cliente é a missão de qualquer empresa. Isso evita perdas de consumidores, processos na justiça e má reputação. 

Apesar do mercado de provedores de internet estar aumentando a cada dia, as empresas de telecomunicação estão no topo das reclamações.  

Encarar o problema é fundamental para reter o cliente e aumentar o seu tempo de vida útil na empresa. Para isso, entenda o que pode afetar no bom relacionamento entre vocês.

As principais reclamações giram em torno de intermitência no sinal, baixa velocidade e erro de rede. Tudo isso afeta na entrega do serviço e pode acabar virando um grande prejuízo financeiro. 

A insatisfação do consumidor que, muitas vezes, faz uso do serviço para trabalhar em casa ou para o lazer, pode gerar prejuízos milionários. 

E sem contar que o usuário de hoje é cada vez mais exigente e deseja um bom serviço. Bem diferente de uns anos atrás que a demanda não era tão grande.

Principalmente, com o uso de tantas redes sociais. O usuário é muito rápido  para divulgar sua insatisfação na internet através de posts e sites especializados em reclamação. Isso quando ele não vai direto à ANATEL para reclamar da baixa qualidade  no serviço.

Por isso, esteja atento às falhas técnicas que podem comprometer o crescimento da empresa. 

Banner_Blog_SCM_SVA

Quais são as tributações sobre provedores de internet?

Antes de qualquer coisa, é preciso ter em mente que são dois serviços oferecidos para o consumidor. Portanto, existe diferença  no recolhimento de impostos.

A diferença está na categoria dos serviços. De acordo com a ANATEL, o SCM consta como um serviço de telecomunicação. Afinal, através dele é possível fornecer toda estrutura para emitir e receber informações.

Diferente do SVA, que se define como serviços de valor agregado ao serviço principal. Ou seja, os serviços são um complemento ao serviço de telecomunicações. 

Tendo isso bem definido, dá para fazer a separação de tributos. Todo o serviço de telecomunicações sofre tributação de ICMS. Já sobre o SVA não incide esse tipo de recolhimento por ser considerado um serviço adicional.

O que é SVA?

Todo mundo gosta de ganhar alguma coisa. Principalmente, quando o benefício vem junto com um serviço contratado. É assim que funciona o SVA (Serviço de Valor Agregado)

O SVA dá uma estrelinha a mais para o serviço de conexão à internet. Muitos provedores estão usando essa estratégia para ganhar mais clientes e também para fidelizá-los

Dessa maneira, a empresa consegue mais pontos com o consumidor e sai à frente da concorrência. De acordo com o público, é possível ofertar acesso gratuito a uma plataforma de streaming, espaço na nuvem e até mesmo ofertas mais personalizadas.

Imagine que seu público tem filhos pequenos. Oferecer acesso a um aplicativo de audiolivros infantis é bem interessante. 

O segredo para usar SVA e fazer dele a “cerejinha do bolo” é entender bem o público. Saber suas necessidades, desejos e dores é uma ótima maneira de poder encantá-lo com estes serviços adicionais.

O que é SCM?

Este é o serviço principal da empresa de provedor de internet. Regulamentado e autorizado pela ANATEL, o SCM (Serviço de Comunicação Multimídia), é fornecido para que todos nós tenhamos acesso à internet e comunicação via telefone móvel e fixo.

Graças ao SCM é possível fazer transmissão, emissão e recepção de dados por meio da internet. Com a tecnologia, não há limites para um mundo cada vez mais globalizado.

E podemos fazer uso de vários tipos de comunicação: chamadas telefônicas, internet móvel e banda larga fixa. 

Hoje em dia, dificilmente uma pessoa não usa pelo menos um desses serviços. Ao longo dos anos, o serviço de dados tornou-se essencial entre as relações.

Quais os tipos de SVA para provedores existem?

Proporcionar novas experiências aos usuários é o que promete os SVA para provedores. Além de fidelizar, esses serviços adicionais vão, sem dúvida, atrair muito mais.

E o final disso é aumento de receita e satisfação maior dos usuários. A partir de uma maior cartela de produtos, com custo baixo ou até mesmo nulidade na cobrança de impostos, o provedor se destaca ainda mais.

Lembrando sempre que o SVA deve estar atrelado ao SCM. Ou seja, não é permitido vender um serviço adicional aleatoriamente. Isso descaracteriza o serviço. 

Da mesma forma, o SVA não deve ser oferecido como uma venda casada, que é proibida pelo CDC (Código de Defesa do Consumidor).

Quanto a oferta de serviços, existe um mundo de empresas parceiras para sua empresa escolher. O mais importante é entender quem é o seu cliente para saber o que vai despertar o interesse dele.

Separamos aqui ideias de SVAs para você implementar no seu negócio. Veja abaixo:

  • Streaming de vídeo;
  • Streaming de áudio;
  • Biblioteca virtual;
  • E-books;
  • Jornais e revistas digitais;
  • Suporte Premium;
  • Localização de Wi-Fi (Roteadores);
  • Plataformas de cursos on-line;
  • Clube de vantagens.

Por que ter um clube de vantagens como SVA?

Criar benefícios para ter sua base de clientes sempre interessada nos seus serviços, esse é o melhor investimento. 

Além de ter um bom custo benefício, reduz na tributação e ainda mantém seus clientes mais satisfeitos.

Enquanto muitas empresas ainda continuam na velha prática da cobrança para acabar com a inadimplência, outras implementam serviços adicionais.

Oferecer um clube de benefícios que fornece ingressos para cinema ou teatro, pontos para trocar por algum serviço ou até mesmo para aumentar a velocidade da internet são opções que mexem no conforto e bem estar do assinante. 

Esses planos de incentivo mantém o cliente mais próximo. Praticamente, a empresa se torna uma grande parceira e interessada no cliente.

Por outro lado, o consumidor não vai ver apenas um boleto a ser pago quando receber a fatura de cobrança pelo serviço. Automaticamente, ele vai lembrar daquela ida ao cinema, da playlist de músicas ou da agilidade com que executa seus trabalhos. 

Sem dúvida, manter o assinante interessado em fazer parte da sua empresa é uma estratégia eficaz para atrair novos consumidores. 

Evitar o churn com um marketing inteligente e capaz de transformar consumidores em fãs da marca, partem, muitas vezes, de benefícios promovidos pelo clube de vantagens.

O clube de vantagens oferece aquele sentimento de exclusividade. E, quem não gosta de se sentir parte de algo exclusivo? 

É muito comum ver em conversas entre amigos comentários sobre o nível de satisfação com provedores de internet. 

Lógico que oferecer um serviço de qualidade conta muito para o cliente, porém ele acaba optando por empresas que também oferecem algo a mais. 

No caso de provedores de internet de pequeno porte, o clube de vantagens é uma ótima oportunidade de se destacar e driblar a concorrência. Quem ganha com isso é também a marca da empresa que passa a ser mais notada por novos usuários. 

Como ter a LeCupon como SVA para provedores?

Um clube de vantagens eficiente vai transformar seu cliente em fã. Isso porque, como falamos, ele vai se sentir especial com as vantagens apresentadas. Além de benefícios que proporcionam conforto, ele vai desfrutar também de muita exclusividade.

A LeCupon pensa no quanto isso pode fazer diferença no seu negócio. Por isso, desenvolvemos um clube de benefícios que vai ser o SVA ideal para sua estratégia.

E, aproveitando a crista da onda dos aplicativos, podemos criar um app com uma interface totalmente personalizada de acordo com as cores e logo da sua marca. 

Além disso, você pode escolher as empresas parceiras que vão fazer parte do seu negócio de acordo com a sua estratégia. 

Mas não é questão simplesmente de oferecer benefícios. Através do dashboard, você vai conseguir monitorar a atividade de consumo do seu cliente. Isso facilita na hora de ofertar algo mais interessante para ele.

Você pode saber como a LeCupon pode ser uma grande parceira para você ganhar mais consumidores satisfeitos e fiéis a sua marca. Veja como a LeCupon pode ser seu SVA.

Como vimos neste artigo, existem ótimas oportunidades no mercado de provedor de internet a serem exploradas.

Partindo do princípio que ninguém vive sem assistir a filmes e séries, ouvir música, trabalhar e usar redes sociais para se comunicar, esse é um bom negócio para investir.

E o melhor de tudo isso, existem avanços na estrutura dos serviços que facilitam a entrega do serviço no que diz respeito ao TI. 

E, se você pensar no consumidor, existem diversas maneiras de atraí-lo com benefícios interessantes que vão complementar o serviço. Além de fidelizar, você também poderá economizar nos impostos. Isso é maravilhoso, não é?

Gostou do que trouxemos neste artigo? Então, você vai gostar ainda mais de saber como é simples trazer a LeCupon para jogar no seu time, aproveite a visita e fale com nossa equipe!

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.