Skip links

O que é fintech e porque o termo ficou tão popular no Brasil?

Muita gente ainda tem dúvida sobre o real significado do termo fintech, o que é natural, já que sua definição não se popularizou tanto quanto seu nome. Basicamente, as fintechs são empresas que unem serviços financeiros e tecnologia.

Talvez você utilize os serviços de uma delas sem relacionar a empresa a esse tipo de negócio. Afinal, muitas atuam aqui no Brasil e têm facilitado muito bastante a vida das pessoas por causa da praticidade que oferecem.

Mas afinal o que é exatamente esse tipo de empresa? Os serviços que elas oferecem são realmente seguros? Existe diferença entre uma fintech e um banco digital ou uma startup? Neste artigo respondemos essas e outras perguntas. Continue lendo para conferir!

Fintech: o que é e qual o seu significado?

O termo fintech surgiu da junção de duas palavras em inglês: financial e technology. Assim, em tradução literal, fintech significa “tecnologia financeira”. Uma fintech, portanto, é uma empresa que oferece os mais diferentes serviços financeiros, mas de uma maneira inovadora, que é utilizando a tecnologia.

É isso o que faz com que elas sejam diferentes das empresas tradicionais do setor financeiro. Uma fintech costuma disponibilizar os seus serviços exclusivamente no meio digital, seja em sites ou aplicativos.

Assim, os clientes podem utilizar serviços e realizar as mais diversas tarefas a partir de um smartphone ou de um computador, sem a necessidade de comparecer a uma agência física. Aliás, a maioria das fintechs não tem um espaço como esse, dedicado ao atendimento do público. Tudo é feito pela internet ou por telefone, por exemplo.

Por que o termo fintech está na moda?

O desejo de descomplicar a vida das pessoas em relação aos serviços financeiros não é tão recente assim. Na década de 1960, por exemplo, foram inventados os caixas eletrônicos, que permitiram aos clientes dos bancos utilizar diferentes serviços sem precisar entrar na fila.

Com a popularização da internet, surgiram novos recursos e ferramentas para bem atender o consumidor do mercado financeiro. A evolução da tecnologia da informação e comunicação permitiu às empresas a digitalização de serviços. Assim, empreendedores em empresários encontraram mais uma alternativa para descomplicar a vida dos clientes e surgiram as fintechs.

Hoje em dia, esse termo está muito na moda porque muita gente utiliza os serviços de fintechs sem nem mesmo perceber que está fazendo isso. Esse tipo de empresa oferece, por exemplo:

  • contas digitais sem mensalidade ou manutenção;
  • cartão de crédito sem anuidade;
  • cartões de débito;
  • apólices de seguro;
  • empréstimos; entre outros produtos relacionados ao mercado financeiro.

Então, se você tem uma conta em um banco digital, ou então utiliza algum aplicativo para fazer pagamentos e movimentações financeiras, você também está usufruindo dos serviços de uma fintech, o que faz com que elas se destaquem cada vez mais no mercado.

Quais as vantagens das fintechs?

Com a nossa explicação sobre o que é fintech, provavelmente você já deve ter percebido que uma das vantagens desse tipo de empresa é a praticidade. Basta fazer um cadastro no site ou aplicativo, seguindo as etapas que a empresa pede, para começar a usufruir dos serviços que ela oferece.

A burocracia é muito menor quando comparamos com as empresas tradicionais do mercado financeiro. Você pode criar uma conta, contratar um seguro, solicitar um cartão de crédito ou até mesmo um empréstimo, por exemplo, sem precisar sair de casa.

Além disso, os serviços que as fintechs oferecem geralmente têm taxas muito menores, ou podem ser completamente gratuitos. É o caso do cartão de crédito sem anuidade, por exemplo.

Essa redução de custos na hora de usufruir dos serviços acontece por causa da estrutura desse tipo de empresa. Como explicamos, as fintechs não têm um espaço físico ou uma agência para receber seus clientes. Na verdade, geralmente elas só contam com seus escritórios administrativos.

Sendo assim, a estrutura física é bem menor e os custos operacionais também. Então, é possível oferecer mais flexibilidade para os clientes com produtos livres de taxas. Outra vantagem das fintechs é que os produtos financeiros que elas desenvolvem trazem um toque de inovação.

Eles são criados para atender as características dos clientes que preferem utilizar serviços digitais e estão muito conectados. Costumam ser simples de usar, por isso e por causa do menor custo, conseguem alcançar uma parcela maior de pessoas, inclusive aquelas que geralmente não têm a atenção dos bancos e das empresas tradicionais, como estudantes, menores de 18 anos e inadimplentes.

As fintechs são seguras?

Talvez você esteja pensando se realmente vale a pena utilizar os serviços de uma fintech, o que é perfeitamente compreensível. Afinal, esse tipo de empresa trabalha de uma forma bem diferente do modelo tradicional que nós já estamos habituados. Mas o fato de ser diferente não significa que não passe segurança para os clientes.

No Brasil, para que uma empresa possa oferecer serviços e produtos do setor financeiro, ela precisa seguir normas, que são estabelecidas pelo Banco Central. Ele regula todo o mercado financeiro e também monitora as atividades das empresas desse setor no Brasil. Assim, as fintechs também precisam estar de acordo com as suas exigências, o que faz com que elas sejam seguras.

Entretanto, o que costuma gerar muita desconfiança é o fato de que as fintechs podem surgir do nada. Sendo assim, são marcas muito novas que ainda estão se construindo no mercado e que, em alguns casos, não são tão conhecidas. Por isso é importante desconfiar, mesmo.

De toda forma, você não precisa deixar de aproveitar oportunidades. Na verdade, para saber se uma fintech é de fato idônea, você pode consultar o banco de dados do Banco Central e conferir se aquela empresa existe de verdade. Para isso, basta ter em mãos o CNPJ da empresa ou então o nome dela. Se estiver tudo de acordo com as regulamentações Banco Central, a informação vai aparecer para você.

Qual é a diferença entre fintech e startup?

Depois de explicar para você o que é fintech, fica mais fácil trazer o conceito de startup para que você entenda a diferença entre esses dois tipos de empresa.

Startups são novos empreendimentos, empresas também com foco em inovação, porém, que ainda se encontram em estágio inicial, ou seja, em start. Como eles chegaram há pouco tempo no mercado, ainda não têm um lucro significativo, mas sua grande característica é que apresentam potencial para crescer em pouco tempo.

Uma startup pode pertencer a qualquer segmento, inclusive o financeiro. Sendo assim, uma fintech também já pode ter sido uma startup, e existem startups que estão se consolidando para se tornarem fintechs.

Exemplos de fintech

Um pouco antes, explicamos que uma fintech pode oferecer diferentes tipos de serviços financeiros. Além daqueles que já citamos, existem também as fintechs voltadas para pagamentos, as que oferecem financiamentos coletivos, moedas digitais como o Bitcoin, fintechs para fazer investimentos, para fazer o controle das finanças, e assim por diante.

A seguir, apresentamos três exemplos de fintechs que atuam no Brasil. Você deve conhecer uma delas!

C6 Bank

Essa fintech é um banco digital com sede nos Estados Unidos e no Brasil. Foi criada em 2018 e já tem cerca de 11 milhões de clientes. Disponibiliza diversos serviços no formato 100% digital, como conta para pessoa física, conta para pessoa jurídica sem tarifas, conta para menores de 18 anos, empréstimo consignado, cartão de crédito com programa de pontos, carteira de investimento, e outros.

Pic Pay

O Pic Pay é uma fintech que opera no formato aplicativo e que oferece soluções de pagamento com segurança e sem taxas. Suas operações são seguras porque o Pic Pay utiliza criptografia e também segue a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Os clientes podem usufruir das facilidades de uma conta corrente, além de solicitar cartão de débito e de crédito. Têm a sua disposição, ainda, o sistema de cashback, rendimento do montante em conta e promoções exclusivas.

Creditas

A Creditas oferece diferentes opções de empréstimo para os clientes. Isso porque essa fintech tem parceria com diversas instituições financeiras, assim, consegue oferecer melhores condições para quem precisa de dinheiro emprestado. O processo é feito todo pela internet, com diferentes opções de crédito c com imóvel ou veículo de garantia, e também empréstimo consignado.

Existem ainda muitas outras fintechs no Brasil, como:

  • PagSeguro;
  • Nubank;
  • Neon;
  • Toro investimentos;
  • Mercado Pago;
  • Nilce;
  • Guia de bolso.

Qual a diferença entre bancos digitais e fintechs?

Agora que você já descobriu o que é fintech, não deve ter restado muitas dúvidas a respeito da diferença entre esse tipo de empresa e os bancos digitais, certo?

Um banco digital é diferente dos bancos tradicionais porque essa instituição oferece serviços financeiros mantendo as operações 100% online. Sendo assim, existem fintechs que são bancos digitais, mas como você viu, essas empresas podem oferecer diferentes serviços e soluções financeiras, logo, nem toda fintech é um banco digital.

Quando a gente menos espera, é lançada uma nova fintech, o que é muito bom para nós, consumidores, já que elas trazem excelentes condições e facilidades que tornam o dia a dia muito mais simples. Além disso, trazem alternativas aos serviços tradicionais, permitindo muito mais liberdade para que as pessoas e também as empresas possam gerenciar sua vida financeira de uma forma mais independente e descomplicada.

Gostou do artigo? Então continue aprendendo sobre esse tema! Confira este outro conteúdo que explica em mais detalhes qual é a diferença entre as fintechs e os bancos digitais.

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.