Lecupon-Logo

Compreenda as características e particularidades da liderança transacional

Sumário

Você sabe o que é liderança transacional?

No mundo dos negócios existem os mais diversos estilos de liderança. Sejam visionários, motivadores, exigentes ou liberais, todo líder deve trabalhar em prol dos melhores resultados para a empresa.

Porém, a liderança transacional, em particular, é um estilo bem antigo de se administrar um negócio, trazendo uma reflexão de até qual ponto, esse modelo de gestão é o melhor em um mercado cada vez mais diversificado e competitivo.

O que é liderança transacional?

Estabelecido pela primeira vez pelo sociólogo Max Weber em 1947, a liderança transacional é aquela que é centralizada no gestor, com foco na estrutura hierárquica  da empresa e no desempenho dos colaboradores.

Ou seja, nesse cenário o gestor se comporta como chefe, e não como líder, focado apenas em cumprir as metas estabelecidas pela empresa.

Quais as características do estilo de liderança transacional?

Nesse tipo de gestão, o objetivo é que os liderados cumpram suas obrigações, premiando aqueles que realizam suas atividades de acordo com as especificações e penalizando aqueles que não cumprem conforme solicitadas.

Logo, não há flexibilidade de diálogo, dentre outras ações e estratégias de motivação e engajamento para os colaboradores.

Ainda, nesse estilo de liderança, existe uma distância entre o líder e os liderados, o que é um ponto negativo, já que, não é estabelecida uma relação de proximidade, confiança e inspiração. Características essas, que o atual profissional do mercado busca no momento de procurar as melhores empresas para trabalhar.

Quais as vantagens da liderança transacional?

Mesmo que pareça ultrapassada, a liderança transacional pode ser funcional, conforme a realidade do negócio.

Os principais benefícios desse tipo de gestão é agilidade nas entregas, resultados consistentes, cumprimento de normas  da empresa à risca, além de uma maior transparência sobre quais são as responsabilidades de cada membro da equipe.

Quais as desvantagens?

Por meio de tantas transformações na sociedade, incluindo o mercado de trabalho, atualmente, é o profissional que escolhe a empresa que deseja trabalhar. 

Isso porque, a maioria dos profissionais na ativa pertencem a geração Millennials,  que buscam equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, produtividade e felicidade.

Nascidos entre meados de 1980, os Millennials valorizam mais a qualidade de vida, as inovações tecnológicas e as oportunidades de crescimento profissional do que a geração Y.

Logo, o modelo de liderança transacional não é atraente para esse profissional, por focar somente em entregas por parte dos liderados, sem planos de desenvolvimento e crescimento profissional.

Qual a diferença entre liderança transacional e transformacional?

A liderança transformacional, diferente da transacional, está em alta nas empresas.

Isso porque, neste modelo de liderança, o líder é uma inspiração para o time, estimulando seus liderados a cresceram, extraindo o melhor de cada um de forma personalizada, proporcionando uma melhor experiência no ambiente organizacional.

Vamos conhecer agora as principais diferenças entre os dois modelos de liderança. Confira!

Estilo de trabalho

Provavelmente esta seja a principal diferença entre liderança transacional e transformacional.

O líder  transacional atua como chefe.

Já o líder transformacional prefere ser um apoio para o time, mais interessado em escutar o que o colaborador tem a dizer, orientar, inspirar e guiar sua equipe, proporcionando satisfação e engajamento.

Preocupação

Enquanto líder transacional se preocupa com prazos de entrega, a liderança transformacional coloca os colaboradores em primeiro lugar.

Por isso, seu trabalho inclui focar na saúde física e mental dos liderados, acreditando que assim, os melhores resultados para a empresa virão.

Relacionamento com a equipe

Enquanto o líder transacional enxerga o colaborador como somente mão-de-obra qualificada, o líder transformacional, mesmo também acreditando que metas mensuráveis ​​são ótimas, valoriza um equilíbrio entre tarefas e relacionamento.

Logo, o líder transformacional busca estratégias de relacionamento, como reuniões, dinâmicas, Happy Hours, dentre outros métodos para aproximar o time, criando uma relação saudável e de confiança.

Comunicação

Na liderança transacional, o colaborador tem  maior dificuldade em se comunicar com seu líder, pois não existe um laço emocional entre ambos.

Ao contrário, na liderança transformacional, existe uma preocupação real por parte do líder em demonstrar que ele está sempre aberto ao diálogo, sugestões de melhorias e até mesmo reclamações.

Insights

Pelo fato de não haver diálogos, feedbacks entre líderes e liderados e confiança na liderança transacional, muitos insights deixam de existir.

Já no modelo transformacional, por existir um relacionamento efetivo entre líder e time, boas ideias e sugestões de melhorias nos processos da empresa ocorrem com naturalidade.

Assim, o ambiente organizacional torna-se mais leve e motivador, porque o colaborador sente que tem valor como profissional e como pessoa.

Agora que você compreendeu melhor as características e particularidades da liderança transacional, cabe a você escolher qual o melhor modelo de gestão para o seu negócio.

O importante é ter em mente que são os colaboradores que irão auxiliar a empresa a alcançar seus objetivos por meio das entregas. 

Então, busque um equilíbrio entre entregas e relacionamento, e veja os melhores resultados acontecerem!

Não deixe de conhecer os “tipos de liderança” que existem no mercado de trabalho e faça a diferença na sua empresa. 

Sumário

Continue explorando o mercado com a Lecupon

Separamos alguns posts que podem te ajudar

Chegou a sua vez!

Tenha seu próprio
clube de vantagens com cashback