Skip links
liderança situacional

Tudo o que você precisa saber sobre liderança situacional

Liderar pessoas é entender o que de melhor se pode obter com a aptidão de cada, e neste artigo vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre liderança situacional. 

Como o nome já ilustra, a liderança situacional é ajustada conforme o contexto onde o gestor está inserido.

A Teoria de Liderança Situacional, de Hersey e Blanchard, aponta que não existem tipos de liderança melhores.

Será?

Acompanhe este artigo até o final e conheça mais sobre esse tipo de liderança

O que é Liderança Situacional?

A Liderança Situacional, como vimos a pouco, é uma teoria desenvolvida em 1969 por Paul Hersey e Ken Blanchard. 

Nela, eles ressaltam que o líder situacional é aquele que consegue adaptar seu comportamento a diferentes situações. 

Ou seja, seu diferencial está na capacidade de adaptar seu comportamento gerencial ao nível da maturidade da equipe ou situação.

Logo, tudo  vai depender da situação a ser enfrentada e das estratégias mais adequadas a serem utilizadas. 

Quais são as principais características da liderança situacional?

Dentro da liderança situacional, umas das principais características do gestor é a capacidade de lidar com situações adversas.

Separamos alguns pontos que são de suma importância para entender este tipo de liderança.

Apoio a equipe

O líder situacional é capaz de dar o apoio que as equipes precisam sem interferir no trabalho de cada liderado.

É dessa forma que consegue delegar tarefas de modo humanizado, sem pressão aos colaboradores ou fazendo com que duvide da própria capacidade.

Comunicação aberta

A comunicação nesse tipo de liderança é mais fluida e aberta, mantendo diálogo e estimulando a confiança das equipes para que trabalhem com autonomia.

Direcionamento aos liderados

O gestor situacional consegue acompanhar e direcionar os colaboradores em todas as etapas de execução de uma tarefa.

Sem se tornar invasivo ou opressor, ele tem a habilidade de guiar a equipe, mostrando exatamente o que precisa ser realizado.

Orientação pelo exemplo

A sabedoria popular diria que “o exemplo arrasta”. Isso porque, ao dar exemplo do que precisa ser realizado, da postura, com empatia, o líder ensina muito mais.

Na liderança situacional é possível transmitir os ensinamentos do gestor com sabedoria, acolhendo os colaboradores.

Essa parceria garante que os resultados esperados sejam alcançados e até mesmo superados.

4 estilos de liderança situacional

Dentro desse estilo de liderança, foram encontrados outros quatro, que derivam do principal e são aplicados de acordo com a situação enfrentada.

1. Direção

Para esse estilo, a característica maior é dizer à equipe o que deve ser feito e  como fazê-lo. 

Dessa forma, o colaborador necessita aprender a tarefa a ser executada e o líder deverá supervisionar até o fim. 

2. Orientação

Na sequência, temos o estilo orientador, onde o líder situacional oferece supervisão constante para a equipe, fornecendo feedback continuamente. 

O líder também pede informações aos seus colaboradores para recolher sugestões, melhorias e novas ideias que possam contribuir para o projeto. 

A decisão final cabe à liderança, mas nesse formato de orientação, a equipe se sente pertencente e mais motivada a contribuir com melhorias.

3. Apoio

Ao atingir este estágio, a liderança oferece oportunidades para que a equipe discuta e analise perspectivas diferentes, enriquecendo o processo colaborativo. 

Ou seja, o líder cede espaço para o protagonismo da equipe, observando bem menos o que está sendo executado.

4. Autonomia

Nesse estilo de liderança situacional, o gestor é capaz de delegar responsabilidades ao time, pois o nível dos colaboradores é mais maduro.

Eles já sabem como se comportar, entendem seus papéis e responsabilidades e sabem exatamente o que se espera deles.

O líder situacional sai um pouco de cena, pois os membros do grupo tendem a tomar a maioria das decisões e assumem a maior parte da responsabilidade pelo que acontece.

Compreendendo a maturidade do time

Além do cenário da organização em si, o que define o tipo de liderança aplicada é uma análise do nível de maturidade da equipe.

Tanto na hora de formar uma equipe quanto para gerir um projeto ou uma crise, os líderes devem considerar em qual patamar os colaboradores se encontram.

Por meio de avaliação de desempenho, seguido de programas de treinamento e desenvolvimento, é possível detectar e evoluir esses níveis.

Vamos ilustrá-los logo abaixo. 

Nível 1: baixa capacidade e vontade

Quando as equipes ainda não têm conhecimento técnico e competências comportamentais o suficiente para agir de maneira autônoma.

Isso pode ocorrer porque são novos ou porque não se sentem preparados e motivados para tomar decisões por conta própria.

Nível 2: alta vontade e baixa capacidade

Aqui os liderados possuem uma certa experiência e também motivação. Todavia, ainda necessitam de apoio para desempenhar a tarefa.

Nível 3: baixa vontade e alta capacidade

Nesse nível a situação se inverte um pouco. Os profissionais possuem alta capacidade para realizar o trabalho com autonomia. 

Entretanto, eles não se sentem motivados e nem dispostos para assumir responsabilidades.

Nível 4: alta vontade e alta capacidade

No último nível os profissionais são capacitados e motivados o suficiente para realizar todo o trabalho com autonomia.

A equipe está apta para ser submetida a qualquer modelo de liderança.

Mapa da Liderança Situacional

Para saber qual estilo de liderança utilizar em cada nível de maturidade de equipe, você pode utilizar o mapa da liderança situacional. 

Ele foi elaborado para que se possa visualizar melhor cada nível e estilo, aplicando eles corretamente, e evoluindo as equipes até a potencialidade máxima. 

Neste mapa a visualização se dá da seguinte forma: imagine um quadrado dividido em quatro partes.

Os estilos de liderança são representados de E1 a E4, os níveis de prontidão de P1 a P4. 

A maturidade P1 é mapeada para o estilo de liderança E1; a maturidade P2 é mapeada para o estilo de liderança E2; a maturidade P3 é mapeada para o estilo de liderança E3 e a maturidade da tarefa P4 é mapeada para o estilo de liderança E4.

A evolução da capacidade

Vamos pensar que a equipe se encontra no nível 1 de maturidade, quando se encontra com  baixa vontade e baixa capacidade. 

Combinando com o estilo adequado, o líder situacional deve aplicar um estilo diretivo de liderança, direcionando exatamente a equipe sobre o que fazer e o que não fazer.

Porém, a meta é que a equipe não se mantenha sempre recebendo ordens e repetindo ações de forma automática.

Isso se tornaria exaustivo para o líder, tornando todo processo mais enrijecido, dificultando  a inovação. 

Logo, o mais interessante é que os profissionais sejam capacitados com o passar do tempo para que o líder possa delegar mais autonomia. 

Uma equipe autônoma é formada por uma série de profissionais capacitados que colaboram com ideias e apresentam agilidade na execução de tarefas.

Além disso, esses profissionais melhor capacitados tendem a se sentir mais satisfeitos, o que leva a um clima organizacional muito melhor.

O que o líder deve fazer segundo a teoria da liderança situacional?

Quando um gestor assume a postura de liderança situacional deve reconhecer que existem muitas maneiras diferentes de lidar com um problema. 

Ele precisa ser capaz de avaliar a situação e os níveis de maturidade da equipe, a fim de determinar qual abordagem será a mais eficaz em determinado momento.

Um bom líder situacional deve conhecer as individualidades de sua equipe, ajustar seu estilo de liderança de forma a atender às necessidades do indivíduo e desenvolver seus liderados a fim de que consigam alcançar o mais alto grau de maturidade.

Contudo, ele conseguirá realizar esses progressos com sua equipe com treinamentos adequados.

Treinamento da equipe

Pessoas vão e vêm nas empresas, o que não é diferente com líderes.

Para que a equipe não fique dependente do líder para sempre, a saída é investir em treinamento. 

Aqueles que são voltados à equipe devem possibilitar a evolução de um time como um todo.

Para isso, deve pensar em habilidades técnicas, melhora na execução das tarefas operacionais, habilidades comunicativas, comportamentais, entre outros aspectos.

Treinamento de liderança

Sabendo utilizar da aptidão da equipe, a empresa também deve viabilizar para aqueles que têm um perfil de liderança, treinamentos mais específicos. 

Nem todos estão familiarizados com as práticas da liderança situacional e podem não saber exatamente como agir em cada caso. 

Por isso, além de treinar as equipes, também é importante investir em treinamento para os líderes.

Um líder situacional precisa saber como gerenciar sua equipe em diferentes cenários e guiá-la ao sucesso.

Até esse ponto foi possível entender que é possível exercer uma liderança um pouco mais flexível, e obter ótimos resultados.

Porém, atribuir uma tarefa a um membro que está disposto, mas não tem capacidade, é um tiro no pé.

É por isso que esse modelo de liderança está atrelado ao nível de maturidade de cada membro, atribuindo assim as tarefas de acordo com a complexidade e potencialidade.

O  mais importante é conhecer as possibilidades e técnicas para implantar de forma assertiva a liderança na sua empresa.

Se você quer aprender mais sobre o tema, veja quais são os tipos de liderança.

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.