Skip links

Confira os passos e os cuidados necessários sobre como abrir uma funerária

Os serviços de planos funerários são essenciais para garantir a segurança em um momento de muita dor. Entender como abrir uma funerária passa não apenas pelos trâmites legais, mas também sobre um trabalho humanizado e próximo.

Para entender sobre os aspectos operacionais e legislativos do funcionamento de uma funerária listamos alguns cuidados que devem ser apreciados.

Nova call to action

Como está o mercado funerário no Brasil?

Hoje, apesar do que muitos pensam, o mercado funerário é bastante promissor.

Existem, aproximadamente, apenas 5 mil funerárias operando no Brasil. Com isso, o número de instituições registradas se mostra bem inferior à necessidade da população, resultando em uma alta procura e baixa concorrência.

Em todo caso, este segmento de negócio vem crescendo ano a ano e é um serviço essencial para todo tipo de pessoa.

De acordo com o Sincep (Sindicato dos Cemitérios e Crematórios Particulares do Brasil), o faturamento do setor funerário já alcança R$ 7 bilhões por ano.

Dessa maneira, não faltam oportunidades em vendas de planos funerários no mercado econômico, considerando a tradicionalidade do setor e sua ampla necessidade.

Qual a importância do IML para as funerárias?

O IML (Instituto de Medicina Legal) é responsável por fornecer a perícia médica de um corpo e realizar o processo de necropsia, exame criminal geral do indivíduo morto.

O Instituto só é acionado em caso de morte decorrente de fatos de natureza criminal, ou seja, se tratando de óbitos por causas naturais, o serviço funerário é convocado diretamente, passando antes apenas pelo Serviço de Verificação de Óbito (SVO).

Assim que o corpo passa por todo o processo médico legal, o mesmo é liberado, mediante a emissão da Declaração de Óbito, para transporte até a funerária responsável.

Como abrir uma funerária em 6 passos

Para entender como funciona o serviço fúnebre e seus aspectos estruturais, é preciso compreender quais os cuidados necessários, protocolos a serem executados e trâmites burocráticos.

Isso tudo é essencial para que a funerária comece a operar e se torne referência no ramo.

1. Separe os documentos necessários

Primeiramente, para oficializar um empreendimento é preciso registrá-lo em determinados órgãos, necessitando de apenas alguns documentos. Entre eles, estão:

  • Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ).
  • Autorização perante a prefeitura.
  • Emissão sanitária da Anvisa.
  • Alvará da Junta Comercial Local.
  • Registro na Previdência Social e na Caixa Econômica Federal (INSS/FGTS).

Com os respectivos procedimentos legais concluídos e com a ajuda de um contador especializado na parte burocrática, a regulamentação para funcionamento da funerária já estará ativa.

2. Entenda o que o serviço fúnebre está encarregado

O serviço da funerária deve oferecer, em suma, o necessário para minimizar o desgaste emocional da família.

Por isso, é preciso saber com quais processos lidar, se tratando de um serviço que exige atividades específicas de funcionamento e normas rigorosas de higiene. Estas normas são estabelecidas pela Vigilância Sanitária, logo antes de realizarem a vistoria para a obtenção da autorização de funcionamento.

As regras devem ser obedecidas à risca por todas as funerárias registradas, do contrário, o determinado empreendimento pode ser multado e até fechado.

3. Conheça os serviços que podem ser oferecidos

Uma funerária é responsável pela maior parte do cenário fúnebre, desde a preparação do corpo até o seu sepultamento, começando pelo transporte do corpo do IML até a instituição funerária.

Assim, são oferecidos diversos serviços e assistências, como remoção do corpo, organização do velório, acompanhamento psicológico, orientação jurídica, cortejo, etc.   

Os itens prestados são determinados por contrato regido pela funerária, variando – se entre planos básicos e completos.

Algumas famílias preferem deixar toda estruturação do funeral nas mãos da funerária, outras já optam por adquirir apenas o primordial: preparo do corpo e compra do caixão.

4. Saiba onde comprar caixões para a funerária

Os caixões são o item principal em uma funerária e essenciais para seu funcionamento. Entretanto, não quer dizer que a funerária deva ter um estoque com vários caixões, necessitando apenas de uma quantidade básica.

Para saber como negociar caixões, procure fornecedores confiáveis que ofereçam um produto de qualidade.

Assim, realize uma busca na internet, através de websites focados em vendas de artigos funerários, procurando pelos melhores preços e pluralidade de modelos.

Os valores da compra de um caixão divergem de acordo com a preferência do cliente, variando- se pelo tipo de material, cor ou dos acessórios escolhidos.

5. Pense na localização e infraestrutura

De acordo com a legislação, a funerária deve-se instalar a pelo menos 5 quilômetros das habitações comuns. Pensando nisso, o ideal é se estabelecer em um local afastado de zonas residenciais, porém, próximo a hospitais e cemitérios. 

A área escolhida deve ser de fácil acesso, oferecer boa iluminação e deter de estacionamentos.

Ao falar de infraestrutura para funerárias, é necessário dispor de um espaço extenso, a fim de se adequar aos velórios de grande porte.

Também, é viável considerar um espaço privado dedicado às famílias e até mesmo a adesão de uma capela.

6. Faça parcerias com serviços adicionais

Ao abrir um negócio, é importante estabelecer laços com diversos setores, com a finalidade de criar um fluxo operacional que seja lucrativo para o empreendimento. 

Dessa maneira, procure fechar parcerias com empresas terceirizadas, como cerimonialistas, floricultores e agências de marketing, otimizando o trabalho dentro da funerária.

Além disso, é válido analisar o vínculo com o cliente que apenas pensa no serviço em último caso, objetivando dispensá-lo dessa impressão e fidelizá-los.

Para isso acontecer, invista em um programa de benefícios trazendo vantagens exclusivas, que aproxime de modo positivo e estimule a retenção de clientes.

Qual o valor do investimento inicial para abrir uma funerária?

Em um primeiro momento, o orçamento ideal para a criação de uma funerária pode variar de acordo com seu tamanho e serviços prestados.

Portanto, o valor de um investimento inicial necessário para abertura de uma funerária de pequeno porte é de, aproximadamente, um teto de 100 mil reais.

O falecimento de um ente querido é sempre um transtorno muito grande, por isso, as empresas funerárias existem para minimizar a dor emocional e tornar esse processo menos difícil.

Entender como abrir uma funerária ajuda essas empresas se adequarem aos papeis judiciais e humanos para operar em um mercado de serviço essencial.

Ainda está com dúvidas sobre como adentrar ao mercado de planos funerários? Aproveite a sua visita para entender como vender planos funerários.

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você aceita a política de monitoramento de cookies.